Seja bem vindo, a quem vier por bem

Bem-vindo à nossa casa 🙂

Aqui, vamos escrever sobre a nossa família e a maldita inFertilidade que, hoje em dia é a realidade de muitas famílias .

À data, é composta pela mãe Galinha, pelo pai Galo pela doce e meiga Pintainha e pelo Pintainho mais fofinho do Mundo .

Para além de falarmos sobre as aventuras e desventuras da parentalidade, a ideia é recuar alguns anos e falar sobre inFertilidade e também sobre Gravidez.

E como demoramos 5 anos a sermos 4…Para já!!!!!

 

Porquê fertilidade?

Os casais hoje em dia, atrasam cada vez mais o nascimento do primeiro filho devido à situação profissional e consequentemente financeira. Cada vez as formações académicas acabam mais tarde e logicamente o conforto emocional e financeiro para a chegada de um um novo membro à família fica para segundo plano. Umas vezes por comodismo, outras por escassez de meios.

Tudo isto faz com que a idade aumente muito rapidamente, visto o tempo ser o pior aliado nestas situações. Entre muitos outros factores, a idade avançada promove o aumento da procura da procriação medicamente assistida.

Para a mulher, a idade biológica mais fértil enquadra-se entre os 18 e os 28 anos. Sendo que cada vez mais tarde o “relógio biológico” soa o alarme. Estima-se que a probabilidade de gravidez em cada ovulação, durante este período é de aproximadamente 50%.

Até aos 35 anos a fertilidade vai diminuindo, e a probabilidade de gravidez neste período é de 40%. A partir daqui a qualidade dos ovócitos começa a piorar e a probabilidade de gravidez são cada vez mais baixas (aproximadamente 30%) sendo de que as possibilidades de surgirem complicações durante a gravidez também aumentam e o risco de parto prematuro também é maior.

Por volta dos 40 anos, pode dizer-se que a probabilidade de gravidez é de aproximadamente 20 %. No entanto, devido á diminuição da qualidade dos ovócitos nesta fase etária, o risco de aborto e de malformações genéticas é consideravelmente superior.

Depois dos 45 anos, a probabilidade de uma mulher engravidar com os seus próprios ovócitos é de 2-5%. Nesta fase etária, aconselha-se a mulher a fazer tratamento de procriação medicamente assistida utilizando ovócitos de dadora, caso não consiga uma gravidez própria.

 

Estes dados são meramente indicativos, e o meu conselho é, que falem com o vosso médico especialista em reprodução humana para saber qual a vossa idade fértil e se existe alguma complicação caso estejam há mais de um ano com actividade sexual activa sem qualquer tipo de contracepção.

 

E foi assim que descobrimos o nosso problema, alguns anos sem aparecer nenhum brinde, o que começamos a achar tempo a mais….

Pesquisa in “Planear uma gravidez da Zita West”

Cláudia WiY
Cláudia WiY

Informação Biográfica

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

%d bloggers like this: