Já ouviram falar na gravidez bioquímica, certo? Pois bem, esta traduz-se na não implantação do embrião na cavidade uterina, nomeadamente no endométrio. É importante sabermos isto mas, ao mesmo tempo desesperante por não podermos fazer nada para mudar a situação.

É preciso dizer que estas dicas que daremos a seguir, podem ser úteis para muitas mulheres e, claro, podem não funcionar para outras. É importante ter consciência de que quando se tentou de tudo e nada deu certo, é preciso procurar ajuda especializada, para uma investigação séria e minuciosa sobre a sua saúde e a de seu parceiro.

Dito isso, vamos ao que interessa.

Já sabemos que 70 a 80% das fecundações não progridem e não chegam a serem definidas como gravidez, pois ocorre uma falha na implantação do embrião.

O endométrio, onde ocorre a implantação do embrião, é um tecido rico em vasos sanguíneos, que se alteram durante o período fértil para propiciar condições adequadas para a implantação e posterior nutrição do embrião após a fecundação, e durante os estágios iniciais da gestação. É o endométrio que vai “alimentar” o ovo fecundado, até que a placenta se forme e passe a transportar nutrientes e oxigénio da mãe para o filho.

A actividade hormonal inadequada de estradiol e progesterona, a falta destas duas hormonas, podem impedir ou prejudicar a implantação do embrião no endométrio que por sua vez , tem que estar devidamente vascularizado e, espesso o suficiente para abrigar o embrião. As medidas do endométrio para implantação variam de 8mm a 21mm, tendo como ideal algo em torno de 12mm.

Por ser uma zona cheia de vasos sanguíneos, a circulação do sangue dentro desses vasos, deve ser o mais adequada possível. Mesmo mulheres, que comprovadamente, não possuem problemas de coagulação sanguínea, podem apresentar alguma dificuldade neste sentido. Entra aqui o nosso Abacaxi!

Se não têm tem problemas de coagulação sanguínea, o médico obviamente não verá necessidade de vos prescrever medicamentos que impeçam a formação de pequenos coágulos no sangue, medicamentos que deixem o sangue mais fino e mais fluido.

Quando o sangue é mais fino, ele tem mais facilidade para penetrar o endométrio. Com isto, esse tecido, recebe mais progesterona, o que ajuda na fixação do embrião.

Descobriu-se uma alternativa natural e saborosa, que fará o mesmo milagre que os medicamentos com efeito anticoagulante. Essa alternativa é o Abacaxi.

O abacaxi possui uma alta concentração da enzima bromelina e vitamina C.

Enzima bromelina

É encontrada principalmente no talo do abacaxi, e entre outras coisas, tem acção mucolítica (dissolvendo catarro dos pulmões) anti inflamatória, contribui na digestão, tem efeito anticoagulante, cicatrizante, melhora a circulação e o sistema cardiovascular.

Vitamina C

Além de contribuir para a defesa do nosso organismo, ajuda na absorção de ferro, aumentando a qualidade ovariana.

O abacaxi vai agir como um anticoagulante natural, vascularizando de forma mais adequada os vasos sanguíneos do endométrio, podendo facilitar a implantação do embrião.

Truque do Abacaxi

Após a libertação do óvulo (ovulação), devem consumir em jejum, 1 fatia generosa (com a espessura de um dedo mais ou menos) de abacaxi com talo durante 5 dias. É importante que o abacaxi seja natural e com talo, pois é no talo que se encontra a elevada concentração de Bromelina, e também porque as suas propriedades não são activas quando o abacaxi é enlatado.

Lembrem-se que o abacaxi não substitui qualquer tratamento que tenha sido indicado pelo médico. É uma alternativa natural, para quem deseja aumentar a vascularização uterina e facilitar a implantação do embrião.
Faça Like na nossa página de Facebook

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter
Share on pinterest
Share on Pinterest
Share on whatsapp
Share on WhatsApp

1 comentário

Deixe uma resposta